domingo, 29 de janeiro de 2012

"Vozes ao alto”, uma noite literária na biblioteca


Sendo a relação com a comunidade o tema que nos norteia este ano, as bibliotecas do agrupamento redobraram os seus esforços para cativar quem nos rodeia, oferecendo-lhes eventos de grande qualidade.
A passada quarta-feira, 25 de Janeiro, foi exemplo disso mesmo, com “Vozes ao Alto”, uma noite inteiramente dedicada à leitura de belos textos e poemas, ditos pelos seus próprios autores ou escolhidos, a preceito, por leitores.
Para iniciar a tertúlia e instalar a informalidade, foi-se convidando, os que iam chegando, para uma chávena de chá ou café, um bolinho e três dedos de conversa.


Aquecidos os espíritos e solta a voz, Carla Neto apresentou a primeira escritora da noite, Sónia Cravo, que nos leu excertos da sua obra, “Na Senda da Memória…”.


Seguiu-se o jornalista António Veríssimo, apresentado por Fernanda Paula Silva, que leu dois textos de Millôr Fernandes e um poema seu.



Sucedeu-lhe a escritora Isabel Rosete, introduzida por Albina Costa, que nos falou do ato de escrever e nos brindou com excertos de “Entre corpos” e “Vozes do Pensamento”.


Seguidamente, foi a vez de Domingos Neto ser apresentado por Francisca Janeiro e nos ler passagens da vida e obra de Florêncio Neto.



Chegou, então, a altura de Cândida Siegle nos falar da escritora Olga Resi e desta nos ler passagens de “Anjo sem asas” e “(Des)encontro (In)esperado”.



Deu-se, depois, lugar a Luís Isidoro, o mentor do projeto “Cultura e Cidadania”, que, apresentado por Inês Santos, nos leu dois textos seus.


Veio, de seguida, o poeta Paulo Manata Fixe, introduzido por Ana Carolina, ler-nos poemas do seu novo livro “Nova Poesia”.


Continuou Zélia Morais, apresentada por Ana Lé, a ler-nos um excerto de “Os Meses Anteriores”, de Luís Ramos.


Para terminar, o escritor António Canteiro, apresentado por Benilde Patrício, leu-nos um pouco do seu novo romance “Ao redor dos muros”.

Acabado o programa oficial, e lembrando a poetisa Natália Correia, que dizia “A poesia é para comer”, a tertúlia encerrou com as pessoas presentes a abrirem… bolos de chocolate e a leram em voz alta os poemas que lá dentro se escondiam!



A noite literária “Vozes ao Alto”, que foi organizada pela biblioteca da Escola Básica de Mira e pelo Projeto Cultura e Cidadania, contou com o apoio da Câmara Municipal de Mira e do Intermarché de Mira na atribuição de lembranças aos convidados.          

Sem comentários:

Publicar um comentário